Série: Jessica Jones

sexta-feira, dezembro 04, 2015 Cecilia Fernandes 0 Comments


Alô, alô amantes de séries e do maravilhoso universo de heróis
Alimentando ainda mais meu vício em séries e minha paixão pelos quadrinhos da Marvel em pleno fim de ano e início das férias, a sensacional Netflix lançou o primeiro episódio - e consequentemente todos os outros - da série de uma das minhas heroínas favoritas: Jessica Jones. 
Por estar em período de provas e fechamento do ano no dia em que a série foi ao ar não pude assistir ou comentar por aqui, mas agora que eu entrei de férias (amém) venho a vocês com a minha resenha e opinião pessoal sobre a trama. Espero que gostem :)

A história
A série que foi ao ar dia 20 de novembro conta a história de Jessica Jones uma mulher com super-força que tem reconstruído sua carreira como detetive particular no bairro de Hell's Kitchen após o término trágico de sua tentativa de agir como super heroína. Lidando com um Transtorno de Estresse Pós-Traumático, a mulher usa de suas habilidades para trabalhar enquanto tenta fugir do fantasmas do passado que a persegue por meio de memórias.
Acontece que seus fantasmas a alcançam e voltam a persegui-la quando a figura de Kilgrave, um obsessivo vilão capaz de controlar mentes e coagir pessoas ao seu interesse pessoal, sequestra Hope Shlottman e a faz ser condenada por um crime que não cometeu na intenção de chamar a atenção de Jessica. 
Ao ser contratada pelos pais para encontrar a adolescente, uma enorme perseguição ao algoz começa na intenção de inocenta-la e livrar outras pessoas de serem vítimas do homem, a cada episódio mais lembranças e momentos da vida de Jessica Jones são revelados enquanto a mesma tece uma nova direção.

(essa é a cara que eu faço nas aulas, opa oi)

A produção
A série foi desenvolvida para Netflix pela Melissa Rosenberg (a mesma que escreveu os filmes da franquia Crepúsculo e Step Up) com a intenção de partilhar continuidade com os filmes da franquia do Universo Marvel Cinematográfico, sendo também a segunda de cinco séries que levarão a minissérie de crossover chamada The Defenders, a história foi produzida pela Marvel Television em associação com a ABC Studios e começou a ser gravada em fevereiro de 2015. 
Apresenta no elenco a atriz Krysten Ritter (já fez Breaking Bad) protagonizando como Jessica Jones, o ator David Tennant (foi um Doctor em Doctor Who) encarnando o vilão Kilgrave, Mike Colter (já fez participação em séries como Criminal Minds e Law & Order) e muitos outros. 


Minha opinião
Embora apresente diferenças quanto os quadrinhos, principalmente por questões de produção e roteiro, buscou-se ao máximo retratar a história de Jessica de uma forma humanista lapidando a mulher repleta de problemas e transformando-a paulatinamente em uma heroína. 
A composição apresenta elementos que engaja o telespectador a cada episódio, sejam as mudanças inesperadas de rumo, as lembranças de Jessica que mudam sua perspectiva sobre fatos apresentados, sua personalidade forte e também deturpada ou até mesmo a relação entre os personagens.
Assuntos polêmicos como abuso, estupro, aborto, traumas infantis e tantos outros são abordados num fundo fictício dando um tom de realidade a história ao mostrar que os heróis são humanos suscetíveis aos males sociais.
Eu me apaixonei pela série da mesma forma que me encantei pelos quadrinhos quando os li, não só pelo que citei anteriormente, mas também pelos detalhes como a existência de uma relação entre ela e o Demolidor com todos os outros heróis da Marvel, o cenário em que se passa a histórias, a abordagem da fotografia e suas várias utilizações e tantos outros aspectos que percebi enquanto desvendava os mistérios apresentados.

5 motivos para amar a série

1. A protagonista não é uma heroína estereotipada 

Jessica odeia acordar cedo, tem problemas de personalidade e outros como estresse pós-traumático, utiliza da bebida como fuga para seus problemas, prefere sua bagunça em um apartamento pequeno e sem segurança do que uma fortaleza, é insegura, teimosa e impulsiva como uma adolescente, não segue nenhum padrão de beleza que não seja o seu de levantar-se de vestir a primeira roupa que achar, ah, ela também não se importa com um uniforme colado e colorido quando ela pode repetir os jeans e uma camisa qualquer por baixo de sua jaqueta preta. 
Na síntese, ela é só uma pessoa comum que ainda está aprendendo a usar suas capacidades na intenção de ajudar os outros como pode, sem ser colocada perante os holofotes e nas manchetes do jornais como salvadora ou algo do gênero, mas é bem badass no final das contas. 

2. É sobre mulheres fortes. 

Jessica, por exemplo, não é forte só por ter ganhado suas habilidades, mas também por ter enfrentado diversos traumas e situações capazes de desestruturar uma pessoa e ainda assim ter continuado de pé em prol das pessoas ao seu redor incapazes de se defender ou daqueles que ama, sua melhor amiga Trish empacotou seus traumas durante a juventude e aprendeu a lidar com a vida de diversas maneiras sempre passando por cima dos problemas e criando uma forma de defender-se a partir de suas capacidades. 
Ou seja, em uma série onde ocorre a inversão de gêneros e as mulheres acabam se tornando a maioria do elenco, cada uma das personagens apresentam sua força, seja por superpoder ou por capacidade moral e pessoal.

3.  É ironicamente engraçado
Jessica Jones

Diante a enorme tensão das situações que é colocada, Jessica Jones transforma as cenas trágicas e infelizes em algo sarcástico e engraçado ao misturar sua personalidade irônica com a própria vida provocando a quebra de expectativa e risadas leves perante momentos diversos, a partir disso o reconhecimento dos personagens e aproximação entre eles e os telespectadores se torna real. 

4. Retrata polêmicas atuais
Jessica Jones
Jessica Jones


A história em si já trata de uma polêmica: uma mulher coagida por um homem a agir contra sua vontade em busca satisfaze-lo de todas as formas, a partir disso a série trás diversos assuntos discutidos atualmente utilizando abordagens de todos os gêneros: seja por meio de flashbacks que mostram uma infância perturbada ou um vizinho que viciou-se em drogas após a morte da mãe.
Quando a série trás essas questões à realidade por meio de um fundo fictício, ela busca levar aqueles que assistem a pensar e criar opinião desenvolvendo a habilidade de argumentar sobre as mesmas.

5. É uma série sobre pessoas

Por fim, Marvel's Jessica Jones fala sobre pessoas no geral, aquelas que superam os traumas, que amam, que temem, que se perdem em seus próprios sentimentos e se encontram em seus próprios erros. Em diversos momentos da série sentimos o peso nas costas dos personagens e no fim de cada episódio aprendemos uma lição para levar, seja com uma piada, com a perda de um personagem ou com a revelação de alguma verdade secreta. 
Novamente...
ESSA. MÚSICA

"Knowing it's real, you can either sit there and deny or actually do something about it." 
- Jessica Jones 

0 comentários: