"As coisas boas que existem são os frutos da originalidade."

terça-feira, abril 12, 2016 Cecilia Fernandes 0 Comments


Todo mundo já teve um episódio com alguma pessoa que não seguia os "padrões da sociedade" em algum momento da vida: um cara tatuado na padaria, uma menina de cabelo rosa no metrô, um punk na rua ou até mesmo sua irmã ou seu irmão que decidiu se tornar vegetariano numa família de aficionados por um bom churrasco no domingo. Creio eu que também é algo comum à maioria a sensação de estar deslocado, estar em um lugar que você não pertence, aquele sufoco que prende sua garganta por simplesmente ser uma peça vermelha em um quebra-cabeça acinzentado. Para concluir a ideia que introduz esse texto pergunto a você que tirou o tempo do seu dia para ler as palavras aqui transcritas: você já deixou de fazer algo por preocupar-se com a opinião de outros? Bem, infelizmente, acho que sim.

A ideia principal aqui escrita é baseada na frase que intitula este texto, buscando exemplos fáceis e rápidos provenientes da realidade tenho como objetivo apenas transformar aqueles que leem essas palavras em uma lâmpada acesa entre tantas apagadas, permitindo que essa forme as mais belas imagens nas paredes que a rodeiam. 

É fácil dizer "ignore" ou "deixe para lá" quando já se acendeu a própria luz, mas quando você é posto diante de seu interruptor tudo parece impossível, distante. Você busca maneiras de transformar aquele pesar vindo dos comentários, olhares tortos ou risadas em algo leve como um fio que as lâmpadas acesas carregam junto a si sem nenhuma dificuldade em ignorar quando alguém fala da sua roupa ou seu cabelo, mas ai que se encontra o problema: quando você foge de cada ofensa, você busca imitar uma lâmpada apagada e quando tende a ignorar acaba espelhando-se em uma lâmpada acesa.

Como solucionar? Não imite, crie. Seja original, invente e reinvente cada mínimo detalhe que te torna uma cópia, seja uma peça única, uma lâmpada fluorescente exalando seus tons mais chamativos. Haja de acordo com o que as batidas do seu coração dizem ser o certo, seja o que você quiser ser e não o que os outros querem te impor como "estilo", o que a sociedade define como certo e errado não pode e nem deve ditar seu modo de viver. 

No momento que você deixar de buscar ser algo que não é, sua luz irá acender ao máximo, iluminando todos os lugares que você for e até ofuscando as lâmpadas que antes te serviam de inspiração. Eventualmente os comentários que antes agiam como facadas sobre teu peito deixarão de te atingir, pois aceitando sua natureza, seja ela comum ou não, você se blinda contra tudo aquilo que busca te prejudicar com a maior arma de todas: a sincera felicidade

O mais tolo de todos os erros ocorre quando jovens inteligentes acreditam perder a originalidade ao reconhecer a verdade já reconhecida por outros.

0 comentários: