Filme: Whiplash (Em Busca da Perfeição)

sábado, fevereiro 21, 2015 Cecilia Fernandes 0 Comments


Alô, alô cinéfilos e amantes de uma boa batida
Na minha resenha de Boyhood eu expliquei que havia feito nas férias umas maratona de filmes do Oscar e durante essa temporada eu tive a chance de assistir com o meu irmão o maravilhoso filme que é Whiplash (Em busca da perfeição) estava animada para ver a atuação do digníssimo JK Simmons no papel de um mestre rígido quando o trailer sem qualidade foi ao ar, quando o vi na lista dos indicados após uma semana fui imediatamente baixa-lo para assistir. Além disso o filme escolhido para resenha do projeto Blogosfera é esse então uni o útil ao agradável e eis aqui minha resenha do filme para vocês. :)

Whiplash narra a história do jovem baterista Andrew Neyman (interpretado por Milles Teller) um garoto solitário que tem como objetivo tornar-se um dos maiores bateristas de sua era como fez seu ídolo Buddy Rich. Para isso ele procura crescer com seus talentos e baquetas dentro do conservatório de Sheffer, a melhor escola de música dos Estados Unidos, quando o rapaz é notado pelo reverenciado e inescrupuloso mestre do jazz Terence Fletcher (interpretado pelo JK Simmons) e colocado como baterista substituto na banda principal do instituto seu grande sonho parece estar no rumo de se tornar realidade. Mas lidar com o abusivo lecionador transforma Andrew em um garoto obcecado e doente que passa a viver apenas para tornar-se o melhor, para seguir os padrões de seu professor, sacrificando-se além do impossível em busca da perfeição que acredita existir na música, abrindo mão de sua sanidade física e mental, de seus relacionamentos e da própria vida para absorver a habilidade dentro de si.

O filme aborda mais temas do que aparenta, vemos o filme criticar a pressão posta nos alunos em parte dos professores, como o aprendiz é submetido a situações de estafa mental e física em busca de um conceito relativo como a perfeição, algo que existe tanto no consciente que acaba desestruturando um ser humano de maneiras automáticas: no filme Andrew deixa de viver como adolescente e passa a se portar como um maníaco e não vê o erro que está cometendo até ser tarde demais, durante a trama vemos também como sonhos são capazes de construir e destruir vidas ao mesmo tempo, Terence procurava uma lenda do jazz na mesma intensidade que Andrew desejava ser essa lenda, movido por um objetivo semelhante Andrew torna-se uma máquina capaz de tudo para ser o número um, durante a trajetória de acontecimentos é fácil notar as mudanças ocorrendo com os personagens pelo desejo infundamentado de ser o impossível. 


Whiplash é tanto para aficionados por música quanto para cinéfilos, cada segundo é uma emoção diferente, cada virada é uma surpresa, cada batida da bateria equivale as batidas do coração frenético de quem assiste ao filme a espera do próximo fato, mas nunca do fim, é praticamente impossível controlar as ações e reações aos acontecimentos devido a incrível construção de atos em sequência presentes no filme. Senti ódio, amor, alegria, tristeza e todos os outros tipos de sentimento durante o, infelizmente curto, tempo de duração do filme que no final só me surpreendeu ainda mais, deixando aquele gosto de quero muito mais na boca enquanto eu olhava pra tela não acreditando no que havia se passado naquelas duas horas entorpecentes de filme. Essa é a magia dos bons filmes: eles te sugam para o interior da história e você nem ao menos percebe quando chega o final tudo que você quer é assistir novamente milhares de vezes.

Durante o filme vemos a construção dos atores claramente, JK Simmons é digno de seus prêmios como ator coadjuvante por conseguir atuar de forma tão completa e sim, assustadora, no papel de Terence Fletcher, a emoção de vê-lo no personagem é digno de arrepios. Além disso Milles Teller está sendo capaz de marcar presença em todos os seus personagens desde papeis grandes como este até em filmes como Divergente e outros, isso desmonta aquela imagem de "ator novato" que existe entre os fãs de cinema e ajuda a construir sua imagem como bom ator que ele é sim, não só pelo seu talento, mas por sua própria personalidade carismática. Além da construção dos atores é fácil notar como a produção e a direção agiram para montar ao redor do enredo e dos personagens um universo tão real. 


O filme que conta com a direção de Damien Chazelle e com a atuação de Milles Teller, JK Simmons, Paul Reiser, Melissa Benoist e outros é um filme de drama musical tem cinco indicações ao Oscar, dois prêmios do Festival Sundance de Cinema, um globo de Ouro e outros prêmios que você pode conferir aqui.  

Confira o trailer abaixo:

Detalhes:
Lançamento: 8 de janeiro de 2015
Dirigido por: Damien Chazelle
Gênero: drama, musical
Duração: 1h47min
Nacionalidade: EUA
Classificação: 

0 comentários: