"A felicidade é antes de tudo uma escolha"

segunda-feira, fevereiro 02, 2015 Cecilia Fernandes 0 Comments


É difícil explicar, mas existem aqueles momentos que eu apenas observo os arredores e as pessoas e penso em quão bom um dia ou um momento foi, eu apenas sorrio e sinto como se a felicidade estivesse me abraçando tão sutilmente como a noite faz com o sol, sem pressa nem dor, apenas um abraço que é ao mesmo tempo confortável e aconchegante. É como se eu pudesse parar a cena e fotografar para levar comigo na alma, como uma tatuagem, é assim tão especial por ser simplesmente raro sentir isso em meio a dias sufocantes e corridos

Depois que assisti Boyhood passei a acreditar no que o diretor quis passar para os telespectadores no fim do filme, não somos nós que aproveitamos o momento, é o momento que nos aproveita. Ele nos engloba na sua atmosfera entorpecente entre uma respiração, percebemos levemente que o que está acontecendo ao redor é algo efêmero, uma situação fugaz que após alguns meses irá se transformar em uma mancha na memória de todos.

Sentimos e vivenciamos situações e nem ao menos nos importamos de reconhece-las, não posso culpar a todos, é a pura verdade afirmar que a pressa nos tornou ignorantes, passamos a eliminar o reconhecimento de diversas ocasiões por objetos ligeiros como rotina, horários, tempo. Passamos a ignorar o momento que procura nos acolher porque não nos tornamos fantoches do relógio.

Perdemos a emoção de sentir felicidade, a verdadeira felicidade, diante das fugas de realidade, durante as brechas para rir sem pressa, as ocasiões onde o relógio é jogado para o lado e tudo que importa são as pessoas ao seu redor, as breves oportunidades de sentir-se bem por pura normalidade, de quando as piadas sem graça são contadas tão facilmente como uma respiração, as risadas são mais importantes que os suspiros de cansaço, quando as brincadeiras se tornam a verdadeira rotina, quando tudo que importa é ir embora por último.

Perdemos isso tudo e provavelmente só vamos perceber quando for tarde demais, quando não estivermos possibilitados de reviver tal experiência, quando a época tiver passado diante de nossos olhos rápido como um flash. Vamos dizer "quanta saudade", "poderia ter feito", "ah se eu pudesse voltar no tempo", "queria ter feito isso" com um olhar distante. Eu prefiro não sentir saudades e muito menos arrependimentos, eu prefiro viver o momento e senti-lo na sua forma mais completa, eu escolho antes de tudo a felicidade.

0 comentários: